"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


29 de julho de 2017

A língua não quer calar

Se não fosse tola com tendências malucas e propensões inapropriadas e inacessíveis não seria eu... Sou assim! Estrago me afasto (ou me esforço muito para tal)...
Meio termo e situações que não permitem abraços são muito confusas pra mim, nunca me reconheci tão bipolar, mimada e nada capricorniana ao mesmo tempo...
Eu devo ser muito perdida (ou aí já entramos na parte do TPB) gente, gosto, me apego, gosto muito, me preocupo, sinto falta...
Não acho o ser humano passível de compressão, mas respeito... 
Não sabia que respeitar doía...
Só queria abraços sinceros, entregas reais...
Sei que sou sentimento de mais, essa Márgara aqui é sentimento de mais, ela quer voar de balão ela quer se envolver, ela quer carinho, precisa de colo umas 3x por dia, porque a vida judia de umas formas que não dá pra prever...
E não, as coisas não se resolvem com plástica, talvez só piorem (será que já enxergaram isso por esse lado?)
A vida é um caos infinito, estou cansada de morar nesse caos sozinha...


Quero dividir minha vida, meu caos meus danos, quero somar tudo isso a delicadeza de alguém...
Quero que um certo alguém apareça numa tarde despretenciosa de terça e me tome por inteiro..
Quero não ter me encantando de verdade por uma pessoa "inviável"...
Quero me pertencer...
Quero não ter lembranças suas...
Quero me lembrar de esquecer...


Ainda há tempo para o chá das 17h?

Nenhum comentário:

Postar um comentário