"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


12 de outubro de 2013

Inspirado em um história real

Eles preferem ralar os joelhos no asfalto
Preferem se cortar nas palavras

Ela

Diz que me ama
SE-GRE-GA amigos, familiares, namorados

Machuca é espinhenta, mandona e austera
Deveria comer melado, talvez  ficasse doce

A outra

Joga na cara o que acha ser certo
MAL-A-MA-DA, mizerenta

Vem com aquela voz doce
Silhueta desenhada que encanta

Eu

Assisto tudo com tendências impacientes e egoístas
Resignada pelo entendimento nulo disso

Plantada em meio a situações, frustrações
E dores que nunca tem fim!

2 de outubro de 2013

(DES)apego

De repente ela aprendeu a desapegar-se das coisas, - coisas materiais - que até então eram a composição dela...

Hoje ela é nuvens, flores, ar e chuva...

É brisa leve que sopra devagar, e amor de muito que remedeia a dor ao amanhecer...

Ela é aos pouquinhos: "cousa" pouca, melhor que aquele monte de frascos...
Fragrâncias, sulfato e parabeno.

Ela é azeite e mel, é misturinha vegetal...

Vem fluida, sopra, roda, não se embala...

Hoje ela não é corante, não é acidulante, tão pouco gaseificada...

Ela é mineral, água e melancia.

PH04, virgem, vinagre de maça!