"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


3 de novembro de 2013

FURACÃO



Você está a dois pés do furacão,

você está tão perto...
Você é o furacão.

"Eu sangro se baterem em mim."

12 de outubro de 2013

Inspirado em um história real

Eles preferem ralar os joelhos no asfalto
Preferem se cortar nas palavras

Ela

Diz que me ama
SE-GRE-GA amigos, familiares, namorados

Machuca é espinhenta, mandona e austera
Deveria comer melado, talvez  ficasse doce

A outra

Joga na cara o que acha ser certo
MAL-A-MA-DA, mizerenta

Vem com aquela voz doce
Silhueta desenhada que encanta

Eu

Assisto tudo com tendências impacientes e egoístas
Resignada pelo entendimento nulo disso

Plantada em meio a situações, frustrações
E dores que nunca tem fim!

2 de outubro de 2013

(DES)apego

De repente ela aprendeu a desapegar-se das coisas, - coisas materiais - que até então eram a composição dela...

Hoje ela é nuvens, flores, ar e chuva...

É brisa leve que sopra devagar, e amor de muito que remedeia a dor ao amanhecer...

Ela é aos pouquinhos: "cousa" pouca, melhor que aquele monte de frascos...
Fragrâncias, sulfato e parabeno.

Ela é azeite e mel, é misturinha vegetal...

Vem fluida, sopra, roda, não se embala...

Hoje ela não é corante, não é acidulante, tão pouco gaseificada...

Ela é mineral, água e melancia.

PH04, virgem, vinagre de maça!

1 de setembro de 2013

Da série: Ela o Deixou

Deixou, por que é inviável sentir nessas condições...

Por alguns momentos você o está deixando...
Onde foi parar o nós?
Onde foi parar o amor de muito?

Deixando-o pelo telefone,
Droga!
Isso não se faz.

Você o está deixando porque não suporta a pressão que é amar...
Amar em faltas circunstanciais...
Meu amor, as circunstâncias agora são essas.

Amar a distância, em ausência de carinhos primordiais...
Meu amor, você está sendo egoísta,
E isso não se faz.

31 de agosto de 2013

Da série: Nem vem, que não tem

Meu, ela está vivendo, vivendo!
E não é isso que as pessoas fazem?
As pessoa vivem...

Vivem enquanto outras que supostamente se amam estão privadas desta vida...
Deitar as 10....
Tomar remédio as 8.

Preciso dos meus pais para chegar a faculdade, para ir a esquina..
Ele também...
Ela, tira foto "cásamiga"...

Isso me doí tanto, imagino o quanto isso doí a ele...
Que eu não tome raiva dela...
Que ela não ouse machucá-lo.

Uma fera ferida é cruelmente cortante...
Uma irmã magoada é docemente vingativa.
Eu sou de leve, amor e sangue!

11 de agosto de 2013

Sobre gostar de alguem



Ela foi minha inspiração...
Piração ruiva, delicada, totalmente azulada...
Foi atrás dos sonhos...

Corria descalça, divertida, liberta...
Encontrou vários amores...
Muitas diversões.

Escolheu o estrangeiro...
A amplitude diversificada que é ser...
Ultrapassou limites...

Superou o limítrofes...
Dedicou-se...
Encantou-se...

É doce!

7 de julho de 2013

FICA... Um pouco mais

Sabe aquele lugar que tem a capacidade de elevar/lavar sua alma de uma forma ÚNICA?
Eis que surgiu a Vila Boa de Goiás na minha vida: assim numa ida inocente na casa de uma parenta distante de papai...
Foi o bastante, se Cora já me fascinará forçadamente no ensino médio, as margens do rio vermelho foi de um deleite inédito!
Aquelas ruas de pedra, aquele artesanato, aquelas pessoas simplistas dali...
Casarões com suas janelas de madeira tingidas de azul, pedaço da história agora pedaço de mim!
Foi encanto puro, amor de muito.
Desculpa para voltar ali não era necessário, eis que surge o FICA ( Festival Internacional de Cinema e vídeo Ambiental), se já era amor virou caso de danos: cidade histórica, música, artesanato e cinema, FECHOU!
2011 Rita Lee no palco um hippie que não é bem hippie e daí pra frente um caso de muito amor com a cidade...

24 de junho de 2013


É sublime o desejo impaciente, megalomaníaco, imprudente, voraz e inconsistente de AMAR...

De uma perdição trágica...
De uma morte insolúvel...

Uma delicia cortante de valor inexplicável,  verdade impagável e tempo irremediável!
 

30 de maio de 2013



                       A filha putagem desse mundo é tão grande que não poderia gerar outras coisa...


24 de maio de 2013

E mentir pra si mesmo...



É SEMPRE A PIOR MENTIRA!

Ela despiu-se, achou que era temporário...
Agora se pinta, veste-se com uma cor que não tem na palheta...
Já não é autêntica, é igual!
A personalidade se esvaiu...
O sorriso forçado falso permaneceu!

A doçura desconhece
A gula faz parte do dia a dia
Não tem tempo mesmo estando jogando na cama...
Amigos?
Pra que?
Ela agora é dona si!

IN-DE-PEN-DEN-TE

Assim sorri contente.

20 de maio de 2013

Ainda não virei uma abóbora





Muitos gostam da clínica médica que rodeiam esses tempos modernos...
Os círculos passados não são tão cíclicos quanto as voltas motoras conversíveis...

Tenho rodado helvética, hepática, "perverssica", hermetica nos últimos dias... 
A agilidade dos acontecimentos e a depreciação do batom vermelho cortam minha alma listrada  que gira em torno da  combinação listra azul marinho , branco e vermelho...

O mais obvio clichê de terminologia elegante que resulta no simples jeitinho navy de ser!

19 de maio de 2013

Simples dizer




Digamos que minha aparência física desencadeou outras aflições mais, que por fim vinham da alma... 
E da alma não se escapa, a ela se prende!

12 de maio de 2013

Pretexto



Algo dentro de mim diz que eu deveria te odiar, o que é de uma estranheza pois não te conheço o suficiente para esboçar sentimento algum...
Talvez instintivamente eu esteja me defendo, me privando da minha felicidade...
Felicidade essa que partilhamos um dia, sim, um dia! Em sentido literal.
Você me puxou pela mão, minha barriga gelou e  não sei o que EU queria que acontecesse, mas sei que não aconteceu assim...
Quebrei todos os protocolos pois como sempre pessoa mais errada que eu não haveria de ter, principalmente naquela situação...
Então você solicito, prestativo e com esse sorriso (e que sorriso) que gelou minha'lma, paralisou meus sentidos e dominou meu juízo...
Fui tua mesmo não te pertencendo, mesmo não estando em teus braços...
Fui assim, veio assim de um estrago sem fim...

Sentimento desritmado, trechos rasgados, de uma irregularidade fiel...|
Amargos de um fim,
quebrados de mim.

9 de março de 2013

Da série: Tão Sua



Os pensamentos oscilam muito: Entre definir o formato da sobrancelha ou cortar os pulsos?
Os pensamentos se aceleram: É pouca bateria para muita energia!

3 de fevereiro de 2013

Propaganda Enganosa


 
Saudades de quando a idéia de ser publicitaria me era bem animadora, quando a ilusão de um mundo cheio de glamour, álcool e tabaco era mais bem vida na minha vida, e por fim vivida no alge dos meus primeiros momentos de faculdade, aqueles onde todos se amam, não há estranhos ou divergências e a galera não se preocupa em ser maior que outrem, só ser.
Fiquei por motivos torpes presa por mais um tempo na faculdade, o que só aumenta meu desprezo pelas pessoas e me desanima pela profissão, bom existe um mundo paralelo pra gente como eu, existe toda uma ambientação cultural na minha cidade, mas infelizmente não consegui adequar meu mundo a tudo isso, são tantas mostras que perco, exposições, peças, shows...
Me desconheço em quanto pessoa...
Em quanto aspirante a publicitaria...

Minha identidade se perdeu em meio a vidrinhos de esmalte "colorê", batons vermelhos, óculos chamativos e tanta make que nem o bi fácil da lancôme é capaz de digerir.

30 de janeiro de 2013

Tudo em vão



Sabe aquela sensação de ter feito tudo errado?
Mas de ter feito tudo errado na hora errada?
Ela tenta se acertar na confusão alheia...
Tenta se ajudar...
Tenta não quebrar os dentes,
não se arranhar...

Tudo em vão!

21 de janeiro de 2013

Será que querer que tudo volte ao normal é pedir de mais?!

PS: Odeio quando ela é autoritaria!

19 de janeiro de 2013

Da série: Nunca falei

Ninguém é elegante de calça jeans, estou amando ser mais loira que o natural, coques deveriam ser de lei pra quem não sabe se pentear - ou para quem quer ficar arrumadinho o dia todo -, uso unhas longas mas acho as quadradas curtas a cara da riqueza quando bem feitas, pareço despachada mas sou sistemática demais, principalmente quando se trata de negócios, odeio sapatos esparramados e ou de baixo da cama, minhas coisas são organizadas sistemicamente e me perco quando mudam a ordem/lugar, eu gosto de música mas odeio alguns ritmos, adoro chuva mais que tudo nessa vida, sou calorenta pra caramba, gosto de pessoas mas não sei me relacionar, amo filmes mas quase nunca assisto, calço 42, devoro blog de modas, tenho sérias tendências fashionistas e adoto um estilo próprio, preciso fazer a bariatrica, adoro meu terapeuta...
Vivo desritimada a base de tarjas pretas, empurrões, quedas, amores errados e amizades incertas!
Confio em poucos e temo o restante, trago pra perto quem eu amo e penso sempre no que posso melhorar!
Tenho um mundo único e exclusivo meu, gosto dele, posso ser quem eu quizer sem medo de amar, me machucar ou qualquer coisa do gênero.




                                                         Tenho medo de ser feliz...