"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


7 de outubro de 2012

E lá foi um mês...




Trinta dias parece passar tão rápido quando quem se ama está ao seu lado.

Trinta dias não se percebe quando se toma sorvete e fala besteira com o irmão...
Quantas músicas será que a gente ouve/canta no trajeto de volta para casa?
Trinta dias e eu tenho a certeza de que em ao menos quatro você vai ao meu quarto me acordar.
Trinta dias e em alguns vários você me aconselha, me ensina a ter serenidade a agir com sabedoria...
A ser sóbria.
Trinta dias e você desce correndo pela rampa abraça, amassa, aperta a mamãe e ela esbraveja brincando: -Sai daqui menino!
Trinta dias e você menino levado se pendura na rede e faz dela um balanço.
Trinta dias e você feliz por ter ganhando o coração da Graci.
Trinta dias e você chamando a Wandra de “prima pirigueti”.
Trinta dias e você apertando a minha mão sempre que chega do trabalho.
Trinta dias e você querendo passar o final de semana em algum parque aquático, planejando viajens, eu você o papai e a mamãe.
Trinta dias que a saudade atacou nossa família,
esmaga nossos corações...
E nos prende de uma forma inemaginavel, trinta dias sempre foram só trinta dias...

Sempre passaram rápido só que cada um preso no seu umbigo sem ligar pros pequenos detalhes que tornam tudo mais divertito, deleitável, nunca se deram conta...

Esse trinta dias são como uma eternidade...
As horas não passam,
A noite não tem fim
E nada serve...
Nada funciona
Tudo está errado, e o vazio, esse vazio nunca, NUNCA foi tão GRANDRE!

Eu só quero te abraçar e ouvir você me chamar de irmã, quero ver você brincar que nem criança, pular na minha cama -  juro que não reclamo nunca mais, pode pular quando você quiser, pode pular em cima de mim aliás não me importo –
Você é um menino tão bom tão bonito tão puro que às vezes eu não entendo, mas tá eu sei que não preciso entender.

É amor demais aqui, amor por tudo quanto é lado, e a saudade é imensa,  quero te ver sorrindo, quero te ver bem, quero você aqui em casa com a gente todos os lindos santos dias irmão, você é meu companheiro, meu confidente, meu melhor amigo e eu sei que você sabe disso, mas não me importa repetir.
Te amo muito, muito e estou sentido sua falta demais, aguardo você ansiosamente!

Beijos da irmã








Ela estoura cartão de credito como ninguém
Quebra 3 unhas em um dia
Frustra-se em 2 minutos
Estoura em 4 segundos
Arghhhhhhh

Ela senta respira

Tem 5 livros pra ler,
Uma fundamentação pra fazer
Um evento pra ir,
Um amor pra sentir
Uma saudade pra abalar
Uma tonteira pra completar

Ela tem produtos e makes que nunca vai usar
Um quarto pra arrumar
Cabides pra comprar
Contas pra pagar

Ela está cheia de saudade,
Desesperada,
Desamparada...

Ah se tudo fosse fácil,
Ah, se tudo fosse difícil,
Mas fosse como era antes...


5 de outubro de 2012

Mãos a obra





Eu tomo remédio controlado.
Vivo turbulências extremas diárias/ cotidianas.
Curso publicidade: estou fazendo TCC.
Almoço enquanto digito e vice versa.
Derramo café no notebook.

Droga!

Apresento trabalhos no automático.
Minha internet não funciona direito.
Ultimamente eu só como besteira.

Aliás, tá tudo errado.

Falo em 2 celulares ao mesmo tempo, e ainda uso o not, tudo isso em quanto meu pai dirige...
Isso quando não tenho que anotar algo no papel...
Compro batons vermelhos compulsivamente em meio a essa confusão.
Não durmo já faz mês e vivo assustada, eufórica ou deprimida tenho estados tensos, confusos e injustificados, porcaria!
Minha cabeça dói, minhas costas doem meu pescoço nem se fala...
Tenho ânsia de vomito toda hora e não aguento cheiros fortes.
Tenho saudade dos meus velhos amigos, dos meus novos amigos, mas nenhuma se compara a saudade que sinto - e que berra dentro de mim – do meu querido irmão, não vejo a hora dele acordar de vez!

Irmão nada funciona sem você...

4 de outubro de 2012

Compreensão?!





Todas pessoas tem suas particularidades, mandingas, supertições etc.

Eu adoraria ter compreensão do meu eu nesses dias...
Eu fico tão confusa que me perco em dimensões que nem eu mesma criei,
aliás, de onde elas surgiram?!
De onde vieram?
Porque minha cabeça quer me sufocar?
Quer me jogar contra a parede, 
me virar de ponta cabeça,
 me enfiar em uma zona “nonsense” e perigosa...

Não quero ter medo... 
Não posso ter medo...

Eu quero me curar, muitas pessoas precisam de mim, eu preciso de mim...

Quero ser gente normal que deita e dorme, que acorda tranquila e não morre sufocada toda hora...

É tanto sufoco, é tanto desespero, é tanta maluquice...

E eu só quero sorrir tranquila e abraçar meu irmão!