"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


9 de agosto de 2012

Sem quê...




Eu gosto de ser assim.
Ele atesta que eu não faço mais porque não tem mais sentido/justificativa, ou desculpa alguma se quer...
Segundo ele não serei tão mais inocente e impune sobre dano qualquer...
Mas eu fui? 
Eu tive culpa?
Acho que tão antes quanto agora os pesares martelaram meus dedos e cortaram minha alma...
Estertorar isso foi só uma coisa normal - para mim normal - para os demais, confuso indelicado , atravessado, incompreensível ...

Então eu sou de uma doçura que não sabe ser mel?
Estou tão confusa quanto sóbria, tentando encher minha cabeça cansar meu corpo e dormir tranqüila à noite...
Talvez funcione talvez eu me atropele sem sair ferida, talvez eu saia ilesa...

Nenhum comentário:

Postar um comentário