"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


15 de julho de 2012

Você tem a resposta das perguntas?!





Pelas próximas horas estou tentada a não me ser, não quero sentir...”

Ela flutua sobre folhas, folhas de outono que dão lugar a novos cenários...

Ela é bela e radiante
 Não sabe a plenitude que alcança...
Se embaraça em sentimentos
tem uma tendência forte a aniquilar tudo que mais ama.

Apaixona-se demasiadamente, se molda em pedacinhos coisa que não se justifica...
Ela canta doce e elaborada, as palavras parecem se desfazer nos seus lindos lábios polidos de vermelho

Ela não sabe...

Ela precisa ouvir: quer voar, mas por si só não consegue...
Precisa de todas as outras que já a pertenceram...

Precisa da junção complexa e tardia do que um dia já foi para futuramente vir a ser outra vez!

Seus olhos raramente radiantes interpretam a paisagem aleatória que muitas vezes imagina para fugir de si mesma...
Dos seus complexos:
sua culpa,
sua falta de coragem
o amor que muito sente...

Seus lábios pintados denotam toda a sensualidade feminina - ela não sabe o que fazer -
Usa roupas claras, cabelo esvoaçante e gosta do cheiro de rosas...
Gosta de tudo às claras, ainda que não seja tão transparente como imagina...

O sentir é o seu maior pesar e também sua maior virtude.

Ela se enrola em noites de cetim, toma alguns comprimidos para dormir e whisky para esquecer...

Esquecer a solidão que é ser!


Nenhum comentário:

Postar um comentário