"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


26 de junho de 2012

Delon g a ssssssss




Sabe aqueles acasos, casados do destino?!
A menina parece gostar de muito, mas é detalhista é boca grande, fala de mais e se arrepende, não pelo que foi dito, mas como e a quem foi destinado aquele ribeirão atrapalhado de letras...
A menina era mais culta, delicada, minimalista, entusiasta
Hoje em dia só é, sem premissas e mais...
A menina vive emburrada com um nó na garganta e um sorriso na cara
A menina se diverte, roda, balança, vai e vem e não consegue...
A menina se aborrece e chora com uma frequência absurda: Cada sopro de vento é um moinho de emoções esmagando seu pequeno-grande coração...

Da série: Mal exclarecidas




Você não pode apagar seu passado, mas faz com maestria de jogador
Você abandona pessoas que fizeram parte desse tal passado
Você tem mais amor ao seu jeans velho do que a alguém que lhe dedicou um pouco de atenção

Você joga pedra na cruz e ainda pergunta a Deus o que fez de errado...

Eu escrevo porque, bom, eu não tenho-te visto com a frequência que gostaria, e eu não te/me abandonei, só estava ocupada com a faculdade e pá, mas em fim, eu escrevo porque eu não quero falar com outro alguém, eu não quero ocupar talvez um amigo e minha mãe está cheia de problemas, não que você seja minha última opção e sim a opção segura....

Meu peito está inflando, inflado de dor, minha alma grita pede um socorro tão doloroso, e você me conhece não sou boa com isso, eu me vejo tão feia, feia físico interno e externo falando, não estou com medo, nem insegura, estou fatalmente ferida, as pessoas, sempre elas, mas eu já entendi que a culpa não é delas e possivelmente minha, pela minha dependência, pela minha possível falta de amor-próprio...
Eu preciso roubar pedacinhos de alguém para existir eu preciso EXISTIR, me ajuda?!

Por que eu fico assim?

Pelas palavras não ditas, pelas verdades escondidas, eu tenho prova hoje a noite e eu não consigo estudar, queria passar de N2 para ir pro FICA na sexta, mas a essa altura do campeonato nem sei mais se quero ir pro FICA, está meio longinho posso mudar de ideia, mas nesse momento eu só queria não sentir nada e estar livre, liberta de todo e qualquer sentimento que arfa dentro de mim, mas você sabe o que acontece nessas horas, minha necessidade de estertorar tudo que está dentro de mim, você sabe não é?

Estou tão desolada que nem o fato de poder me afogar em compras me alivia, eu não quero nada nadinha só um batom da M.A.C talvez, um vermelho bem intenso - pura lascívia brutal -. Eu não quero VIVER, mas eu preciso, eu preciso das minhas outras partes, do meu amor-próprio e principalmente esquecer de quem não se lembra de mim, de quem me dá as costas...

Você pode segurar a minha mão e enxugar as minhas lagrimas?

Pode me levar para longe, não precisa me fazer feliz, só me tire daqui, seja gentil me abrace pelas manhas, cuide de mim como se eu fosse uma criança desamparada e me ensine a crescer, eu sei que  você pode, eu preciso que o você possa...

Porque talvez eu precise mais de carinho, porque eu preciso estar viva pro nosso encontro, porque eu só sei caminhar nessa direção

A mesa está feita a sua espera, as taças colocadas metricamente para que o nosso olhar se cruze...
Mas que seja logo porque eu não aguento mais


                                                                              TEXTO ESCRITO ORIGINALMENTE EM 01/06/12


Sim eu mudei de idéia e vou pro FICA, meu astral está ótimo apesar do meu coração bater sozinho e eu me sentir incomodada com isso, minha N2 foi sexta passada, e eu tomei o melhor remédio pra toda essa minha dor: Sair com bons amigos e dar aquele UP no visual, estou mais leve, mais clean e voltando a ser quem eu sempre fui, isenta de fluidos ruins!