"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


3 de janeiro de 2012

Muito, eu disse MUITO - amor nessa vida!



 Éramos navegantes de nos mesmos: Um pai, uma mãe dois irmãos...

Um lar!

Quando criança ele não gostava de estudar, apanhará do pai para poder crescer "letrado", gostava
mesmo era de criançar se deliciar e correr, sentir o sabor do vento...
Sempre gostou de velocidade...
Brincava com os outros meninos na rua, vivia ralado, machucado.

Quem via percebia que era menino de saúde frágil,
a mãe sofria pela meningite do filho tinha medo do mesmo não sobreviver...

Mas ele sobreviveu...

Foi tomando gosto pelos estudos, e estudava estudava tanto que preocupava o pai -que no
passado o ameaçou com a varinha de amora- mal comia, era alto e magrelo, sua única diversão era
jogar bola com os colegas.

Tinha sonhos pequenos: Ter um "FIET" 147 azul cor de geladeira.

Não tinha emprego, mas ganhava para estudar -não era mesada dos pais- era alguma iniciação
Cientifica do governo, aos poucos tinha alguma renda...
Antes disso, fizera algumas provas, quis também ser piloto da EXPESEX -essa parada ele não
ganhou.

Abandonou a escola particular foi para o colégio federal, junto ao ensino médio deu inicio ao
curso Técnico de eletrotécnica, não era bem seu sonho, mas por hora era o mais seguro a fazer...

Seus pais se orgulhavam tanto daquele menino que por si quis brilhar.

Ele não parou por ai: Mecatronico quis ser, um vestibular na UNB prestou e PASSOU!
Mas por motivos de força maior não pode ir...
Ficou por aqui prestou vestibular na UFG -Engenharia Elétrica- PASSOU não gosta do curso, não
tem muitos amigos na faculdade...
Guarda aqueles da época da escola federal...

Prestou varios concursos publicos antes de completar a maior idade era uma espécie de hobby não
sei especificar...
Perto de completar os 18 anos foi de novo e prestou o concurso da Petrobras e: PASSOU

Aos 18 anos aquele menino simples, dedicado meio timido e que de nerd não tinha nada foi
contratado pela Petrobras, foi sozinho passar um mes no Rio de Janeio para desespero de sua mãe
que ainda considerava aquele menino uma criança que vivia se aventurando!

Um fiet pra sua infelicidade ele não pode comprar, não por falta de fundos...
Talvez por falta de tempo...
Hoje ele tem 20 anos e um carro importado...

Mas o que me impressiona é que quando de dentro do seu carro vemos na rua um "fiet" seus
olhinhos brilham, aquele menino ainda é o mesmo, não foi tomado pela grandeza ou pelo poder...
Leva uma vida pacata junto a sua familia e gosta de ajudar sua familia...

A essencia de cada um é fixa, aqueles que se deixam corromper não são dignos de amor ou dos bens
que tem...

Cada um cativa e conquista não aquilo que objetiva de olhos abertos...

Não desista dos seu objetivos e não se preocupe se não tiver um...
Ele também não tinha!

Os sonhos, esses, são presentes e tem hora pra chegar...
A hora do "fiet" azul cor de geladeira ainda não chegou!

Mas pra mim esse menino -Ah pra mim ele ainda é só um menino- é meu orgulho, meu estimulo, é um vencendor!

e

"E eu não tenho nada a te dizer
Mas não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou"

Nenhum comentário:

Postar um comentário