"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


22 de janeiro de 2012

Loucura solta, CURA

Um domingo não pede justificativa, ele berra aos prantos nos seu ouvidos, ele pede explicações, justificativas que você não quer dar, ele rememora coisas que você acha querer esquecer, traz à tona a sua memória olfativa -mas meu Deus, até isso?


E com que direito, qual intento?
Um domingo não pede que você acorde necessariamente as 6 e que penteie os cabelos ou tire os pijamas cor-de-rosa, vai ver é por isso: ELE COBRA ALGO DE VOCÊ!
Não, não!

Um domingo é capaz de fazer de você uma pessoa maravilhosa ou te transformar em um esterco humano...

 Hoje eu quis fazer dois cortes enormes nos meus braços, retos precisos e profundos, daí você pergunta por quê? Eu queria tirar para fora, tanta coisa que um banho de banheira e limpeza de pele não seriam capazes, queria lavar/livrar minha alma de uma penitência futura, sei-lá.

Mas me vi na cena, coisa TRASH mesmo, queria destituir-me de mim de uma vida que não sei... Para onde estou indo?

 E talvez eu só esteja assim porque eu o vi e acho que não sou garota para ele!

Tão distinto, fino, com perfume delicado, fala firme, coisa de homem REFINADO -daqueles que qualquer garota que se preze gostaria de ter ao lado.



Ai suspira fundo mesmo, coração sacode balança, e a gente fica com aquela cara de boba sácome?



Pior de tudo é que eu acho que eu não sou garota para ele porque sou meio amalucada, desindexada, estilizada, diferentona!

Assim: De make escalafobética!

Assim: com esse batom colorê e corte de cabelo todo assim meio meu!

Para ele os padrões estéticos realmente não contam, por mais que eu me ligue neles, e saiba que preciso livrar-me de vários quilos e muitas gorduras localizadas...
  

Os estereótipos, os transtornos psicossomáticos, e uma vida no campo em plena cidade grande!



Nenhum comentário:

Postar um comentário