"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


30 de outubro de 2011

Sempre mais do mesmo





Para balança sacode
Vem girando
Seus braços colados
Seus lábios calados

Vem voando
Vem cantando
Vem até mim

Vem pulando

Vem

assim devagar
Com antes
Como não é mais
Como era antes
como a dor deixa calar
como a febre deixa delirar

Vem nu em pelo

Tua pele alva

Tua alma serena

Vem

Como já não sei mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário