"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


30 de outubro de 2011

Sempre mais do mesmo





Para balança sacode
Vem girando
Seus braços colados
Seus lábios calados

Vem voando
Vem cantando
Vem até mim

Vem pulando

Vem

assim devagar
Com antes
Como não é mais
Como era antes
como a dor deixa calar
como a febre deixa delirar

Vem nu em pelo

Tua pele alva

Tua alma serena

Vem

Como já não sei mais...

27 de outubro de 2011

Nada mais por mim

Eu cresci ali!

Eu tive festa e bolo de aniversário
Eu fui PÉROLA da madrinha
Eu fui filha de empresário
Fui criança mimada

Fui adolescente desnorteada
Embriagada
De consultórios psicológicos
De berros e gritos
De compras e furtos
De mimos intermináveis

Fui jovem
De emprego legal
De consultórios psiquiatricos
De faculdade de publicidade
De baladas alternativas
De surto medicamentoso
De internação em clínica

Sou adulta
De "noitadas" loucas
Com faculdade trancada
De consultórios psiquiatricos, psicológicos e blá, blá, blá, blá

Eu cresci lá mas minhas raizes estão aqui!

13 de outubro de 2011

Não sei pisar na embreagem

Lá vou eu, de novo e novo,
  tola, tola, tola, tola, tola

Eu não aprendo...
sou de palavras honestas, 
de coração puro, 
de dizer que sinto...

Sou de momentos únicos!
Os meus momentos únicos...

As minhas paixões formigantes...
Ainda que de 10 minutos
Elas ensinam muitooooo
e toda vez ensinam diferente

As pessoas não são intrigantes, nos é que colorimos estupidamentes elas assim!

Eu odeio ser coloridamente intrigante...