"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


30 de novembro de 2010

Realidade?


E então bonequinha?
Tropeçou e caiu na escadinha?

É mais uma queda...
e uma labilidade emocional fatal
estou com nojo de mim, como nojo das minhas atitudes...
Na verdade eu tenho nojo das atitudes humanas -não todas claro- mas de boa maioria...

Atitudes humanas que são muitas vezes encobertas por transtornos psiquiatricos...
Eu não me escondo atrás disso
Sou eu mesma, se digo algo sou EU

Claro que ocorre a dissociação mas isso não sou eu!

Eu queria que as pessoas fossem realmente honestas...
Infelizmente não tenho mais como acreditar nisso
É sou criançinha inacabada...
Por enquanto!
Vou me esforçar ao máximo pra que isso não exista mas em mim, pra que essa se vá, e que eu cresça uma mulher forte, ousada e inteligente...

Independente de ninguém!

Ahh mas eu vou me esforçar pra isso
vou me dedicar com todo afinco possível...

Eu posso mudar isso
Ela pode...

Sem mentiras, anestésicos, choro ou gritos
Ah! Sem lâminas também!

Nesse momento não acredito em mim, mas o improvável acontece

E essa bonequinha aqui vai crescer...
Sem devaneio alguém

Posso estar sendo equivocada, mas não escondo o que sinto o que almejo/desejo...
Infelizmente fiz do meu mundo um lugar imundo...

Preciso de ajuda pra acabar com isso, e preciso dos meus amigos
aqueles meigos amáveis e quem tem vontade de me bater as vezes...
esses que estão longe, aqueles que ao mesmo tempo perto mas distantes
outros que ainda habitam em mim
alguns que são tão eu e me caem tão bem!

Conto com a inexperiência crua de tos nos, e abraços inquietantes e risadas no carro, no fundo da sala... No choro provocado por desentendimentos tolos, nas picuinhas pelo preço do restaurante, nos meus futuros sócios que vão sempre estar ao meu lado e que eu pretendo estar sempre por perto...

Isso é amizade
isso é verdade

E saibam que as vezes não demonstro mas guardo cada pedacinho de vocês, cada histórinha, e amo muito e tenho muito zelo por vocês que compõem o meu sorriso todo o fim de noite...

E o que eu seria sem vocês?

Nenhum comentário:

Postar um comentário