"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


29 de junho de 2010

Mato, morro!

Vou me matar por 24 horas seguidas: matar, morrer, matar, morrer, nesse ordem, lembrando que terei de estar viva no próximo dia que seguirá.
Não sei o que acontece mas sei que piorou em dosagem absurda!
Eu não estou bem ela não está, ela dança tonta sobre fios de seda, sobre pontas finas de navalha...
Ela deslumbra
Ela desbanca
não sabe como está e não tem mais noção de como é viver por fora de tudo isso...
Ela não quer...
A outra está um pouco tonta por conta das mortes comprimidas que ingeriu há pouco...
A outra e ela nunca foram tão amigas, mas ela sente por ela grande estima e se identifica profundamente com toda dor que se passa...
A soma das duas não quer ir além, e ela...
Ela envolta em medo se dissolve-balança
Em menos de 2 horas estarão mortas e já outras...

2 comentários:

  1. texto absurdamente lindo.
    todo dia mato, morro, renasço pra depois matar e morrer de novo.
    bjo

    ResponderExcluir
  2. sacanagem, a minha palavra de confirmação começava com "litio"... até aqui? rs

    ResponderExcluir