"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


20 de janeiro de 2010

Sentimento Manchado


“... Gosto dos devaneios azulados que pairam a outra...”

Essa mistura esse monte de pedaçinho essa UNIÃO resulta nisso: PAPEL MANCHADO, manchas azuladas começam a se remexer o que elas mostram o que formam?

Vazio? Não menos vazio por ser azul...

Azul é a mistura doce que foi criada pra seduzir gente tola, azul não induz pra ser sensata nem seduz tanto assim, mas esse papel está manchando...

A nobreza não era tida como detentora do “sangue azul”?! Foque ai, entenda ai!

Não existem linhas de raciocínio nisso não há embasamento teórico, no máximo vivência, vivência vilipendiada e amassada, mas VIVÊNCIA.

Eis que somos tolos, todos sem exceção acreditamos em amores e em dado momento só ficamos rodopiando sobre isso!

Se aquiete!

Nós estamos tão alienados em nos mesmos que não temos capacidade para enxergar além, além de velhas frustrações...

Além do mesmo sentimento manchado que resguardamos desde então!

Simplesmente cansei de pessoas que lançam eu’s te amo ao mar como se fossem bóias salva vidas, por que não são!

E quando se descobre que não é se afunda - confusa e desprevenido- , porque se confia nessa bóia, nessa bóia falha que foi criada por gente má com o intuito único e real de nos ver afogando.

Afogando em nosso próprio sofrimento, na falta de amor próprio nas verdades que nos contaram e que desde então nunca mais foram/serão verdades.

As pessoas limitam-se quando justificam um amor -esse amor- com dor!

Dor que fere o peito e entrega a Alma!

Dor que estertora...

Respiração cansada!

"Dor que inventamos, porque sem dor não há o repente de um carinho..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário