"Alma limpa, amor na transversal...
Planejando o (in)certo"


11 de abril de 2016


Você é alguém que deixei para trás, aquela velha roupa que não visto mais... 
Você é aquele edema que ainda está no tecido do meu corpo, no tapete da minha alma...

REPLAY

Você é alguém que um dia eu amei...
Você é alguém por quem eu me matei...
Você é alguém por quem você não se apaixonaria...
Você é alguém que desmistificou a fanstasia...
Você é alguém?
Você é...
Você é?
Você?
Isso é real?
Isso é...


Isso algum dia foi real?
Isso algum dia foi real!



25 de abril de 2015



Sobre dias, noites, madrugadas, atritos e simples confusões.

Amasso minha alma, tropeço, atropelo os passos...
Dou meras voltas, volto a mim mesma...
Perco o sentido, vou sem juízo...
Levemente cortante, simples, torta, menina mimada, tola, 17 anos.

Perdida na parada do ônibus, não acompanho o leva e trás...
Vou, vôo, circunflexa, despontuada.

Saudades do que não foi, do que é, do amor que não vem, do que veio; esse, que bate a porta...
Invade, toma conta, rompe prelúdios, ignora protocolos, deixa-os pra lá.

Vontades, verdades, perdão!

23 de setembro de 2014


Deixei de ser e vou continuar indo...
Estragaram o que eu achava ser a última parte boa que em mim restava...
E de fato era!

Lembro de um amigo dizendo: -Não se machucar é lei!
Mas não me lembro como e porquê alguns amigos me soltaram a mão pelo caminho...

Alguns voltaram entre afagos, palavras doces e abraços únicos...
Outros me afogaram em poças de lama e lágrima...
Vocês,,, me tiram o ar de uma forma que eu não consigo mais existir! 

7 de setembro de 2014


Teve a pior e mais depressiva semana da vida, felizmente ela se findou... 
Findou-se em sorrisos, ternura e amor de muito, 

reveu amigos, redescobriu paixões, descobriu segredos, navegou em uma mar de emoções...


Foi do fundo poço ao topo das montanhas, encheu-se de emoção, vestiu-se de batom vermelho, redimiu-se consigo mesma, perdoou-se, lavou a alma, encharcou-se, foi...
Como nos velhos tempos.

Intensidade e emoção
Loucura e paixão

10 de agosto de 2014

Roda




É bruta, pausada e de certezas,
Caminha contra o tempo ( o seu tempo )
Foi amaldiçoada pelo vento...


Come estrelas, fita olhares...
Carrega amores...
Persegue vaga-lumes.



Veneno tentou tomar, ao chão se lançar...
É fraca e forte...
Torta e confusa...

Significativa e (in)prudente
Roda-gigante e carrossel!

4 de junho de 2014

Você não sabe, não entende!




Você está cego...
Cego diante da berlinda...
Saltou da ponte, mas nunca caiu...
Seus sentimentos te atacam como veneno...

Você se destrói e entende amor...
Diz ser puro remendo mas é alma por inteiro!

17 de março de 2014

Mulher maravilha





Não, ela não poderia ser...

Se fosse seria menos sentimental,
rápida e precisa...
Sem dúvidas, ou passível de arranhões...

Ela está dormente, dormente com a ausência de tocar...
Dormente pela ausência de se doer...

Ela está indo bem, maravilhosamente bem...
Sem fulgas, culpas ou amenidades...

Ela está sorrindo, rindo, indo...
PARTINDO!

15 de março de 2014

Desconexa



Tão serena e voraz,  tática e valente...


Enfrenta dias, corta madrugadas...
Não sabe dirigir, entende um pouco de colorimetria...


Se mete com alegres (dês)conhecidos e a turma mais descolada e cult que encontrar...

Ganha olhares por onde passa: É diferente...
Um tanto desequilibrada e desconexa,

tão desconexa que de sem nexo se perdeu...


É  seletiva:

Gosta de turquesa e pedras naturais!

14 de março de 2014

Trouxe Lírios Amarelos Para Você.



"Tropicou-se em si mesma quando deixou ser..."
Um pouco confusa, um pouco com sono.

Já não naufraga mais...
Observa do cais.

É gentil e voraz!